A importação de vinhos está aquecida no mercado brasileiro. Segundo dados da food news no acumulado de 10 anos a importação teve alta de 91,60%, e no ano de 2018 o Brasil importou o equivalente a US$375,64 milhões, ou seja, apesar da crise política e econômica há grandes expectativas para este mercado. E hoje, você vai aprender como importar vinhos.

A legislação Brasileira tem normas bem específicas para importação de vinhos, o importador deverá possuir registro no MABA, licença de importação e é obrigatório um exame laboratorial.

como importar vinhos

Fazendo a importação de vinhos

Documentos necessário

Segundo o site do Ministério de Agricultura os documentos necessários para importar vinhos são:

Os rótulos também precisam seguir os padrões descritos Decreto nº 6.871, de 2009 e conter as informações precisas e corretas para o consumidor.

Impostos e custos para importar vinhos

Assim como a maioria dos produtos importados no Brasil, uma das desvantagens do negócio está na tributação. Devido aos impostos que incidem sobre o produto o importador precisa planejar bem e garantir o melhor preço com o fornecedor.

É importante atentar-se para a variação cambial, pois além dos custos fixos do local da empresa, luz, água, funcionários, publicidade, etc, os impostos que incidem sobre o produto, o imposto de importação cerca de 27%, isento para países do mercosul, Pis, Cofins, ICMS e IPI, o elevam o custo final do produto.

Como escolher o produto

Para se destacar no mercado, o importador deve priorizar produtos inéditos no Brasil, de forma a reduzir concorrência. O gosto pelo vinho tem ganhado muitos seguidores que estão dispostos a experimentar algo novo, então procure por produtos exóticos de lugares pouco divulgados e regiões diferentes para despertar o interesse de enófilos curiosos.

comprar vinhos importados

Na hora de importar vinhos, prefira produtos orgânicos. Nos últimos anos, a preferência por esse tipo de produtos tem se tornado mundial. As pessoas aceitam pagar um pouco mais caro pela garantia de ter em sua mesa, ou em sua taça um produto livre de pesticidas e agrotóxicos que prejudicam a saúde.

Existem empresas e consultorias especializadas que facilitam o processo de importação de vinhos, resolvem a documentação necessária. Em alguns casos, é um custo necessário pois a dificuldade com a legislação, a burocracia dos tributos e licenças podem gerar perdas significativas, inclusive da carga, por não atingirem as exigências necessárias.

O importante para o importador é investir em um plano de negócios estruturado, atentar-se para a legislação e criatividade para diferenciar seu produto.

Espero ter ajudado.

8 respostas

    1. isso mesmo. E pelo jeito daqui uns dias também teremos isenção para vinhos da Europa. Graças a um acordo previsto entre Mercosul e União Europeia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *