All for Joomla All for Webmasters
Home Blog

Você reconhece os 15 vinhos mais caros do mundo?

0
vinhos mais caros do mundo

O prazer de tomar uma taça de vinho chega a ser um ritual para muitas pessoas. Já para outros também é um hábito bem caro. Assim como existem vinhos para todos os gostos, existem também para todos os bolsos. Mas o que faz um vinho ser tão caro?

Por incrível que pareça alguns fatores determinantes do custo de um vinho vão além  da simples qualidade.

O valor da terra onde as uvas foram plantadas, por exemplo, pode interferir no valor final do vinho. Inclusive, esse é o caso da região da Borgonha que carrega no nome das terras o valor do vinho.

Outro fato curioso que pode influenciar o valor do Vinho é o rendimento da Vinha. Quanto menor for a quantidade de uvas que a vinha produz melhor será sua qualidade, tendo em vista que a planta não teve que dividir em maiores quantidades os nutrientes, sendo assim, aquelas poucas uvas que receberam mais alimentos se tornam bem mais fortes e vigorosas.

O preço e a mão de obra

O preço da mão-de-obra, assim como, se a colheita é manual vão influenciar os preços do vinho também. Isso porque se a colheita é manual ela tende a ser mais criteriosa do que se feita por uma máquina.

Por exemplo, um coletor avaliará se o cacho está maduro ou não e se já é possível colhe-lo, já uma máquina colherá tanto o cacho maduro quanto aquele que precisa de mais tempo.

Ou seja, a colheita manual torna o processo mais qualitativo e dependendo da região essa mão-de-obra não é tão barata. Em determinadas regiões da França, por exemplo, ela será bem cara, pois os trabalhadores franceses não irão aceitar os mesmos preços pagos aos trabalhadores em hong kong, por exemplo.

Por fim, a qualidade de produção do vinho também tende a encarecer o produto. Assim, se a bebida for armazenada em uma barrica nova de carvalho francês, com certeza elevará o seu valor.

A tecnologia e todo maquinário para fabricar o vinho influenciam também, apesar dos vinhos artesanais também conquistarem um mercado bem caro,  o mercado tende a puxar o valor do vinho levando em consideração o marketing do rótulo do produto aliado às críticas que a garrafa recebe.

Outro vilão dos preços da bebida dos deuses é a tributação que ele recebe. Em resumo, os impostos com certeza tem parcela exorbitante no motivo pelo qual os preços de alguns vinhos são tão elevados.

os 15 vinhos mais caros do mundo?

Vamos saber um pouco sobre os vinhos mais caros do mundo:

1 – Domaine de la Romanée-Conti Grand Cru, Costa de Nuits, França

Preço médio: U$ 20.234,00

Este é considerado o maior vinho da região da Borgonha, França, feito de uvas pinot noir é reverenciado por enólogos e enófilos em todo o mundo, a fermentação é controlada e envelhecida em carvalho francês novo, é um vinho elegante que se diferencia pela sua coloração rubi, sabores e aromas que encantam.

2 – Domaine Leroy Musigny Grand Cru, Costa de Nuits, França

Preço Médio: U$ 18.928,00

Também da Borgonha, dizem que é de tirar o fôlego, quem sabe um dia eu experimente um pouquinho.

3 -Egon Muller Scharzhofberger Riesling Trockenbeerenauslese, Mosel, Alemanha

Preço Médio: 13.693,00

Dessa vez temos um alemão na lista, esse vinho de acordo com a frase de Jancis Robinson, “o xarope de limão mais extraordinariamente revitalizante com notas florais que duraram minuto após minuto na boca”. sobre a safra de 2003

4 – Domaine georges & christophe roumier musigny grand cru, côte de nuits, frança

Preço Médio: 13.391,00

Conhecido por ser frutado quando jovem com grande potencial de envelhecimento.

5 – Domaine Leflaive Montrachet Grand Cru, Côte de Beaune, França

Preço Médio: 10.695,00

Conhecido pela riqueza e equilíbrio. Também está entre os vinhos mais caros.

6 – JS Terrantez, Madeira, Portugal

Preço Médio: U$ 8.624,00

Um Português de aromas delicados e sabores de laranja e flor caramelizados, frescos, estilosos, delicados no final mas com muita concentração.

7 – Domaine de la Romanée-Conti Montrachet Grand Cru, Côte de Beaune, França.

Preço Médio: U$ 8.004,00

8 – Domaine Leroy Chambertin Grand Cru, Costa de Nuits, França.

Preço Médio: U$ 7.776,00

9 – Leroy Domaine d’Auvenay Grand Cru Chevalier-Montrachet, Côte de Beaune, França

Preço Médio: U$ 6.584,00

Outro vinho francês que está entre os vinhos mais caros do mundo.

10 – Screaming Eagle Sauvignon Blanc, Oakville, USA

Preço Médio: U$ 6.175,00

Vinho encorpado com alto teor de taninos e acidez, vinho do norte do Vale de Napa, o álcool é bem equilibrado, o final é longo, floral, fresco e muito elegante, bom é o que dizem, já que eu nunca provei.

VEJA TAMBÉM: Top 10 vinhos bons e baratos

11 – Domaine Leroy Richebourg Grand Cru, Cote de Nuits, France.

Preço Médio:  U$ 5.800,00

12 – Leroy Domaine d’Auvenay Mazis-Chambertin Grand Cru, Cote de Nuits, France.

Preço Médio: U$ 5.498,00

13 – Domaine du Comte Liger-Belair La Romanee Grand Cru, Cote de Nuits, France 

Preço Médio: U$ 5.359,00

14 – Domaine Leroy Romanee-Saint-Vivant Grand Cru, Cote de Nuits, France.

Preço Médio: U$ 5.272,00

15 – Leroy Domaine d’Auvenay Les Bonnes-Mares Grand Cru, Cote de Nuits, France.

Preço Médio: U$ 5.175,00

Conclusão

É possível ver uma presença dominante dos vinhos franceses na lista dos mais caros do mundo a maioria de Borgonha, a área possui um clima continental caracterizado por invernos frios e verões quentes, os vinhedos são plantados ao leste e sudeste e recebem melhor exposição solar, os vinhedos premier e grand cru são plantados em altitudes entre 800 a 1000 pés.

Uvas Pinot Noir e Chardonnay são consideradas nativas da região da Borgonha e de grande qualidade, a Chardonnay é mais encontrada em vinhedos com concentração de calcário, a Pinot Noir é muito reflexiva e cultivada em solos altamente variáveis o que pode resultar em duas produções durante o ano.

Têm motivos de sobra para esses vinhos serem os mais caros do mundo, sortudo aquele que pode provar e desfrutar de uma taça desses vinhos caros e famosos.

 Será que você será o próximo a experimentar? Tomara.

Até a próxima.

TOP 10 vinhos bons e baratos de até R$ 50

0
vinhos bons e baratos

Fazer um Top 10 vinhos bons e baratos pode ser difícil, pois O custo x benefício pode variar de acordo com o bolso de cada um.

Por exemplo, uma pessoa pode achar o valor de R$80,00 de um determinado vinho barato pelo prazer de tomar aquele vinho. Já para outra, o custo pode ser muito elevado para aquela garrafa específica, por causa das suas preferências.

Por isso é tão complicado determinar qual vinho é bom e barato. Mas vou encarar o desafio.

Dito isso vamos para o desafio de listar aqui uma essa coleção de vinhos com preço que cabem no bolso. Vale lembrar que estabeleci um valor de 50,00 para considerar o vinho barato, combinado.

10 vinhos bons e baratos

Começando pela 10ª posição:

10. Los Gatos – Carmenere 2015

Preço médio: R$20,00

los gatos carmenere

Um vinho chileno, tinto, teor alcoólico de 13%, vermelho intenso e rubi, aroma de frutas vermelhas com um tom de especiarias, um bom vinho de mesa para acompanhar o jantar.

9. Salton Lunae frisante 

Preço médio: R$ 20,00

Salton Lunae frisante

Vinho branco, brasileiro, aroma cítrico, sabor fresco, com boa acidez, muito bom para servir gelado em reuniões, em festas ou happy hour.

CONFIRA: Aprenda a conservar o vinho por mais tempo

8. Tarapacá Cosecha Merlot 2017

Preço médio: R$ 25,00

Tarapacá Cosecha Merlot

Chileno, um bom vinho de mesa para acompanhar uma deliciosa massa, um vinho com sabor delicado.

7. Adega de Monção vinho verde

Preço médio: R$ 36,00

Adega de Monção vinho verde

Esse vinho português, branco e seco é está em 7º entre os top 10 vinhos bons e baratos. Trata-se de um vinho jovem com nuances de pêssego e sabor frutado, bom para aperitivos e para servir gelado.

6. Casillero Del Diablo Reserva Cabernet Sauvignon

Preço médio: 32,00

Casillero Del Diablo Reserva Cabernet Sauvignon

Um vinho chileno, sofisticado no sabor, envelhecido em barricas de carvalho americano, aroma de cerejas maduras, groselha e ameixas com toque de baunilha.

5. Toro Loco Tempranillo

Preço médio: 35,00

Toro Loco Tempranillo

Um vinho espanhol suave, leve, frutado, fresco e macio, conquistou diversos paladares, ideal para quem está começando a beber vinho, focado na expressão da uva.

4.  Alandra

Preço médio: R$ 45,00

vinho alandra

Vinho tinto de Portugal, um vinho fresco, equilibrado, aromas de frutas frescas com toque floral, vinho elegante e versátil.

3. Vinho Cono Sur Bicicleta Carmenere 

Preço médio: 45,00

vinho cono sur bicicleta carmenere

Em terceiro lugar entre os 10 vinhos bons e baratos, o vinho chileno é frutado e suculento, acidez equilibrada, aroma de frutas vermelhas e especiarias.

É VERDADE?: Afinal, vinho engorda ou emagrece

2. Maycas Reserva Sumaq Chardonnay 2016

Preço médio: R$ 50.00

Maycas Reserva Sumaq Chardonnay

Esse vinho é do chile, refrescante, cítrico, combina muito bem com frutos do mar e peixes.

1. Vinho Rosé Casal Garcia

Preço médio: 50,00

Vinho Rosé Casal Garcia

Um vinho verde de Portugal de cor cereja, um aroma frutado, com notas de morango e framboesa, fresco, ideal para aperitivos, acompanhamento de massas, peixes, perfeito para o verão.

Então é isso, uma lista desafiadora com os top 10 vinhos bons e baratos e com opções deliciosas para experimentar sem sofrer com o preço da garrafa.

Só realmente relaxar e aproveitar, tem muitas outras opções mas acredito que estas aqui irão agradar vários gostos. 

Lembrando que um vinho bom é aquele que te agrade e que para você valha a pena pagar determinado valor.

Até a próxima.

Vinho engorda ou emagrece? Saiba a verdade

0
vinho engorda ou emagrece

As perguntas que não querem calar, vinho engorda ou emagrece? nem engorda e nem emagrece? Será que o hábito de beber vinho vai influenciar na dieta?

Não dá para segurar a onda e deixar de comer aquele doce maravilhoso e por tudo a perder ao tomar um vinho, essas perguntas precisam de respostas, urgente.

Já é comprovado que o hábito de beber vinho, moderadamente, pode ter um efeito cardioprotetor e auxilia na digestão, mas e aí vinho engorda ou emagrece? vamos aos fatos:

Açúcar e Álcool

Está aí uma dupla perigosa e bem presente durante o processo de fermentação do vinho, ou seja, quanto mais açúcar e álcool tiver um vinho mais calórico ele vai ser. Então quanto mais esse vinho for ingerido, mais calorias serão ingeridas e o resultado pode ser visto na balança. 

Então analisar o teor de açúcar no rótulo antes de ingerir um vinho pode salvar sua dieta. 

  • Vinho Seco: 0 a 4g/L;
  • Vinho meio-seco ou semi-sec: 4,1 a 25g/L;
  • Vinho suave: mais de 25,1 a 80 g/l

A pesquisa científica

O resveratrol é um polifenol, uma substância antioxidante, mais presente nos vinhos tintos, por ser uma substância presente em frutas escuras como: uvas, amoras, morangos, etc.

Segundo reportagem da revista exame, uma pesquisa feita pela Washington State University identificou que o resveratrol é capaz de converter o excesso de gordura branca em gordura marrom, facilitando a eliminação da mesma pelo organismo.

Segundo a pesquisa, a conversão da gordura branca em marrom ajuda na manutenção do equilíbrio do corpo, previne a obesidade e disfunção metabólica.

Resveratrol

Como a presença do resveratrol é mais presente em frutas escuras, então quanto mais escuro for o vinho maior será a concentração da substância, cuja presença traz mais benefícios do que só à ajuda na eliminação da gordura marrom, a substância auxilia também:

  • A prevenção do câncer;
  • Diminuição do colesterol ruim;
  • Aumento do colesterol bom;
  • Possui efeito antibacteriano sendo eficaz na eliminação da bactéria Streptococcus.

Com tantos benefícios assim já dá até vontade de abrir uma garrafa e comemorar até se acabar, certo? Errado.

VINHO ABERTO ESTRAGA? APRENDA A CONSERVAR

Bom caro leitor é aí que mora o perigo: é esse pensamento errôneo que acaba com as vantagens do hábito de beber vinho. Em vez de pensar apenas se vinho engorda ou emagrece vamos lembrar que o consumo abusivo de bebida alcoólica é a causa de algumas doenças como:

  • Cirrose e alcoolismo;
  • Corrobora o aumento de cânceres de fígado, faringe, boca, laringe, esôfago, sangue e colo-retal.

Nos vinhos também é encontrada uma substância chamada Sulfitos, substância inofensiva para a maioria das pessoas, porém aquelas que têm asma podem ter reações adversas.

Por isso o consumo de qualquer bebida alcoólica, incluindo o vinho, deve ser moderado e o equilíbrio deve ser a palavra chave para aqueles que querem levar uma vida saudável e se manter longe de problemas.

Além do mais, como vimos antes quanto maior for a ingestão da bebida, maior será a ingestão de calorias, acabando com a dieta.  

Aperitivos e comidinhas

Quando uma pessoa abre uma garrafa de vinho, geralmente, não é uma regra, mas, geralmente, há acompanhamentos, ou seja, comidinhas, que podem ser desde um jantar ou um almoço, até aqueles aperitivos e petiscos gostosos que combinam tanto com aquela garrafa especial. 

vinho emagrece

A escolha do acompanhamento do vinho é tão importante quanto a própria escolha da garrafa certa para ocasião. Por isso não se pode pensar apenas se o vinho engorda ou emagrece.

Se o pensamento é em ser eficaz na hora da dieta, então a escolha dos acompanhamentos também deve ser pensada, a opção ideal é selecionar um cardápio mais saudável e a quantidade de calorias deve ser de acordo com a expectativa de uma dieta equilibrada.

Então, vinho engorda ou emagrece?

Ainda não há uma certeza, uma afirmação ou uma negativa da parte dos nutricionistas e especialistas sobre se beber vinho engorda ou emagrece.

Ou seja, agora o que é sabido e comprovado é que se o consumo for moderado a bebida faz bem para saúde e produz efeitos benéficos para o corpo. Então para se beneficiar dos efeitos positivos e continuar com o prazer de apreciar a bebida sem perder a dieta a dica é ficar de olho nas calorias do vinho e ficar de olho nos acompanhamentos.

No geral o hábito de beber vinho faz muito bem.

Aprenda como fazer vinho de jabuticaba

0
Aprenda como fazer vinho de jabuticaba

Que o vinho é uma bebida apreciada por muitos não há o que se discutir. Agora, quem diria que é possível fazer a iguaria dos deuses a partir de uma frutinha brasileira tão comum, a jabuticaba?! Essa fruta rica em vitamina C e antioxidantes cresce ao longo da casca da jabuticabeira e ajuda na digestão e a eliminar toxinas.

Começou-se a fazer vinho desta frutinha quando os imigrantes italianos, que chegaram ao noroeste fluminense, substituíram as uvas tradicionais por não as encontrarem por volta do fim do séc. XIX.

RECOMENDADO:

Aprenda como fazer vinho de jabuticaba

Que tal fabricar o seu próprio vinho de jabuticaba ao estilo faça você mesmo, para isso você vai precisar de:

  • Recipientes de vidros/galões de água
  • Mangueira e plástico para vedação
  • Açúcar, na proporção de 3 kg e meio para cada 20 litros de jabuticaba
  • Jabuticabas maduras

Aprenda como fazer vinho de jabuticaba e aprecie essa iguaria. Vamos começar.

Aprenda como fazer vinho de jabuticaba

Lave bem as jabuticabas e deixe-as secar. Após, Coloque as jabuticabas dentro do galão, ou recipiente de vidro, intercalando em camadas de açúcar e jabuticaba, amassando um pouco as frutas para sair um suco, finalize com o açúcar por cima.

Faça um furo na tampa do galão e coloque uma mangueira para saída do ar resultante da fermentação. Vede bem para que não entre ar, apenas saia.

Deixe descansar de 15 a 30 dias, após esse prazo coe o conteúdo com um tecido de algodão, armazene o líquido em garrafas por três meses, sacudindo-as de tempos em tempos para que o ar saia e não estoure as garrafas.

Pode-se acrescentar, a gosto, álcool de cereais a 40º caso o teor alcoólico natural esteja baixo.

RECOMENDADO:

Benefícios da jabuticaba

São muitos os benefícios da jabuticaba, como a prevenção de doenças, dentre elas o câncer e o envelhecimento precoce por ter antocianinas, que são compostos fenólicos altamente antioxidantes.

Outro benefício incrível desta frutinha é ajudar a emagrecer, por ser pobre em caloria e rica em fibras a jabuticaba ajuda na saciedade.

Então é isso pessoal, aprenda como fazer vinho de jabuticaba e faça teste até que consiga pegar a “mão”? Agora é hora de experimentar!

Até a próxima;

Como fazer vinho quente com maçã e outras formas

0
Como fazer vinho quente com maçã e outras formas

O mês de Junho chegou, com as festas juninas, trazendo com ele o friozinho característico da época. Há quem goste de um bom chocolate quente, outros, porém, preferem algo mais sofisticado ao paladar. Que tal aprender como fazer vinho quente com maçã e outras formas?

Esta bebida europeia está associada às nossas quermesses e festas juninas, mas nos países europeus é tipicamente servida no inverno, durante as festas de natal.

Algumas pessoas podem confundir o vinho quente como o quentão, porém são bebidas distintas. Para saber, o vinho quente é um mistura de vinho com especiarias. Já no quentão utiliza-se cachaça na receita.

A técnica de misturar especiarias na receita remonta da Grécia antiga, que as utilizavam para prevenir que o vinho estragasse quando estava perto de vencer e para aproveitar as propriedades medicinais dos ingredientes.

Já que o vinho normal e o vinho quente fazem tão bem a saúde vale a pena apreciar a bebida neste inverno, mas se você não quer procurar uma quermesse para aproveitar a iguaria vamos ver algumas receitas para você reunir os amigos e se aquecerem:

como fazer vinho quente para festa junina

Como fazer vinho quente tradicional

Ingredientes:

  • 1 L de vinho tinto
  • ½ colher de chá de cravo-da-índia
  • 1 unidade de canela em pau
  • 4 colheres de sopa de açúcar
  • 2 rodelas de laranja

Modo de preparo:

Em uma panela com fogo baixo, adicione todos os ingredientes. Quando a mistura começar a ferver, deixe cozinhar por cerca de 20 minutos.

fazer vinho quente com maçã ou outras frutas

Ingredientes:

  • 2 xícaras de açúcar
  • 2 canelas em pau
  • 2 cravos da índia
  • 1 colher de sopa de casca de limão
  • 1 colher de sopa de casca de laranja picadas
  • ½ abacaxi picado
  • casca de 3 maçãs
  • 1 litro de vinho tinto seco
  • 2 xícaras de suco de uva integral
  • 2 xícaras de suco de abacaxi natural
  • 3 maçãs cortadas em cubinhos

Modo de preparo

Para fazer vinho quente caramelize o açúcar, adicione a canela, o cravo e todas as cascas e as maçãs cortadas. Misture tudo, acrescente o vinho e deixe ferver. Por fim, coloque os sucos e as frutas picadas. Espere 5 minutos e desligue o fogo.

Melhor vinho para fazer vinho quente

É importante escolher bem o vinho. Como ele será aquecido pode perder suas propriedades. Por isso, atente-se na escolha do vinho.

  • Se você for usar vinho tinto, escolha um vinho seco como os Merlot Chardonnay e Cabernet Sauvignon por possuírem pouca doçura evita a sensação de “doce demais” já que nos ingredientes tem açúcar.
  • Se você quiser fazer vinho quente com vinho branco opte por sabor mais frutado geralmente produzidos por uvas Chardonnay, Chenin Blanc, Moscatel, Sauvignon Blanc e Sémillon.
  • Com o vinho chianti, o sabor será bem intenso devido a concentração do vinho.
  • Com o vinho do Porto, devido ao seu alto teor de álcool, o sabor será bem marcante.

Sirva o vinho quente em canecas de alumínio ou cappuccino, canecas de cerâmica também são uma boa pedida, enfeite com canela de pau para deixar ainda mais convidativo.

Existem muitas receitas para fazer vinho quente e você pode criar a sua também, utilize especiarias e frutas cítricas para criar um sabor só seu.

Até a próxima!

Saiba qual é o melhor vinho do Porto

0
melhor vinho do porto

Ah! aquela sensação de chegar em casa, depois de um dia tenso, e abrir uma garrafa de um bom vinho não tem preço, muitos são os benefícios do hábito de consumir essa bebida milenar.

O vinho possui substâncias, como o resveratrol, que possui capacidade cardioprotetora e quimioprotetora, outras substâncias também estão presentes na bebida como polifenóis, antioxidantes e flavonóides.

Estudos mostram que o consumo de até duas taças de vinho por dia faz muito bem para o coração e sistema digestivo, além de fazer bem para a alma quando você desfruta da companhia de pessoas queridas.

vinho do Porto

Mas e o vinho do Porto? Pois bem, esse vinho é proveniente da região demarcada do Douro, norte de Portugal, e ficou conhecido como “vinho do Porto” por volta do séc. XVII quando já era exportado para todo o mundo.

Este vinho é diferente porque além do clima diferente da região, o processo de fermentação é interrompido logo no começo, por volta do segundo ou terceiro dia.

Ao vinho, nesta fase, é adicionado uma aguardente vínica neutra, com cerca de 77º de álcool. Por isso o vinho é naturalmente doce, devido ao açúcar natural das uvas não se transformar completamente em álcool e acaba por ser mais forte que os demais com cerca de 19 e 22º de álcool, a doçura pode sofrer variações podendo chegar até um vinho extra seco.

Melhor vinho do Porto

Consideram-se três tipos de vinhos do porto:

Vinho Branco

O vinho do Porto branco é feito de uvas cuja casca, no processo de fermentação, não entram em contato com o mosto e envelhece em balseiros de madeira de carvalho, são jovens e frutados e caracterizam-se pela doçura.

banner wine

Vinho do Porto Ruby

São vinhos tintos que também envelhecem em balseiros e conservam por mais tempo suas características iniciais, devido à baixa oxidação.

Eles possuem uma cor escura, neste tipo de vinhos, por ordem crescente de qualidade, inserem-se as categorias Ruby, Reserva, Late Bottled Vintage (LBV) e Vintage. Os vinhos das melhores categorias, principalmente o Vintage, e em menor grau o LBV, podem ser guardados, pois envelhecem bem em garrafas.

Vinho do Porto Tawny

Este possui uma cor mais clara, um tom de âmbar, isto porque envelhecem durante dois a três anos nos balseiros sendo transferidos para pipas de 550 litros, que permitem um contato maior com a madeira e com o ar, sendo assim o vinho respira mais, oxida e envelhece mais rápido.

Por conta do seu processo diferenciado os Tawny ganham complexidade aromática aprimorando os aromas de frutos secos e ganhando aromas de madeira, tostado, café, chocolate, mel, etc.

Categorias Especiais

Um vinho do Porto standart é aquele que envelhece até três anos. Quando um vinho envelhece mais tempo na madeira é porque pertencem a categorias especiais cuja uvas são de melhor qualidade ou porque foram produzidos em uma ano bom em relação ao clima.

É comum encontrar entre as categorias especiais os Reserva, os LBV, os Tawnies envelhecidos e os Vintage, e os Colheita em menor frequência.

O Vinho do Porto possui características únicas de cor, sabor, aroma e texturas, sendo bem vindo em qualquer ocasião, garantindo requinte, sofisticação e elegância capazes de agradar qualquer pessoa.

Agora que você já sabe qual o vinho do Porto é hora de escolher o seu e apreciar essa maravilha.

Como fazer importação de vinhos no Brasil

0
importação de vinhos

A importação de vinhos está aquecida no mercado brasileiro. Segundo dados da food news no acumulado de 10 anos a importação teve alta de 91,60%, e no ano de 2018 o Brasil importou o equivalente a US$375,64 milhões, ou seja, apesar da crise política e econômica há grandes expectativas para este mercado. E hoje, você vai aprender como importar vinhos.

A legislação Brasileira tem normas bem específicas para importação de vinhos, o importador deverá possuir registro no MABA, licença de importação e é obrigatório um exame laboratorial.

como importar vinhos

Fazendo a importação de vinhos

Documentos necessário

Segundo o site do Ministério de Agricultura os documentos necessários para importar vinhos são:

  • Certificado do Registro do estabelecimento importador, quando não disponível a verificação eletrônica automática;
  • Certificado de Origem e de Análise do produto;
  • Certificado de Tempo de Envelhecimento, quando for o caso;
  • Certificado de Inspeção de importação de vinhos que autorizou a comercialização do produto dentro do período que o dispense de coleta de amostra, quando for o caso;
  • Termo de Depositário, quando for o caso;
  • Autorização para dispensa de coleta de amostras, emitido pelo Setor Técnico da SFA/UF, nas situações previstas na alínea “a” do item 3.5 do Anexo disponível no site;
  • Comprovante da tipicidade e regionalidade do produto, quando for o caso;
  • Comprovante da indicação geográfica do produto, quando for o caso;
  • Documentação Aduaneira da mercadoria (LI, LSI ou DSI);
  • Fatura Comercial (Invoice);
  • Conhecimento ou Manifesto de carga; e
  • Declaração Agropecuária de Trânsito Internacional – DAT.  

Os rótulos também precisam seguir os padrões descritos Decreto nº 6.871, de 2009 e conter as informações precisas e corretas para o consumidor.

Impostos e custos para importar vinhos

Assim como a maioria dos produtos importados no Brasil, uma das desvantagens do negócio está na tributação. Devido aos impostos que incidem sobre o produto o importador precisa planejar bem e garantir o melhor preço com o fornecedor.

É importante atentar-se para a variação cambial, pois além dos custos fixos do local da empresa, luz, água, funcionários, publicidade, etc, os impostos que incidem sobre o produto, o imposto de importação cerca de 27%, isento para países do mercosul, Pis, Cofins, ICMS e IPI, o elevam o custo final do produto.

Como escolher o produto

Para se destacar no mercado, o importador deve priorizar produtos inéditos no Brasil, de forma a reduzir concorrência. O gosto pelo vinho tem ganhado muitos seguidores que estão dispostos a experimentar algo novo, então procure por produtos exóticos de lugares pouco divulgados e regiões diferentes para despertar o interesse de enófilos curiosos.

comprar vinhos importados

Na hora de importar vinhos, prefira produtos orgânicos. Nos últimos anos, a preferência por esse tipo de produtos tem se tornado mundial. As pessoas aceitam pagar um pouco mais caro pela garantia de ter em sua mesa, ou em sua taça um produto livre de pesticidas e agrotóxicos que prejudicam a saúde.

Existem empresas e consultorias especializadas que facilitam o processo de importação de vinhos, resolvem a documentação necessária. Em alguns casos, é um custo necessário pois a dificuldade com a legislação, a burocracia dos tributos e licenças podem gerar perdas significativas, inclusive da carga, por não atingirem as exigências necessárias.

O importante para o importador é investir em um plano de negócios estruturado, atentar-se para a legislação e criatividade para diferenciar seu produto.

Espero ter ajudado.

Como servir vinho | Algumas regras simples

3
servindo um bom vinho

Com este artigo, vamos te dar algumas dicas sobre como servir vinho corretamente – seja entre amigos ou em um restaurante. Mas antes disso, é importante entender qual é a taça ideal para a garrafa de vinho que temos em mãos.

Como sabemos, todas as taças de vinho possuem a característica de ter uma haste longa e um formato de bojo mais ou menos extenso que enfatiza as características do vinho.

Entretanto, não é verdade que deva servir um vinho mais jovem em taças mais estreitas e vinhos mais maduros em taças mais amplas.

bojo da taça depende, principalmente, dos aromas liberados pelo vinho. O formato do bojo deverá ser mais aberto e largo se o vinho possuir uma complexidade importante de aromas. Agora, se ele possuir menos aromas, a abertura deverá ser mais estreita para coletar todos estes aromas juntos e levá-los diretamente para o nariz.

Em geral, não recomendamos também o uso da Flute. Muito bonita de se ver, mas não muito funcional para uma perfeita degustação de um vinho espumante.

taça flute espumante
Taça Flute

Antes de servir um vinho

Antes de servir o vinho, é necessário alguns preparativos. Precisamos aprender como colocar as taças sobre a mesa.

  • Geralmente, na frente da faca colocamos o primeiro copo – aquele de água.
  • Em seguida, em uma fileira, as taças em ordem de vinhos que serão servidos.
  • No final de cada vinho, teoricamente, deve-se eliminar a taça se ela estiver vazia.

Como servir vinho

Servindo em casa

Quando estamos nos preparando para servir o vinho devemos, antes de tudo, apresentar a garrafa para o hóspede.

Servir vinho no restaurante

Como servir vinho em restaurantes é diferente de quando você vai servir em casa é importante detalharmos melhor como fazer.

servindo vinho no restaurante

Se você estiver servindo vinho em um restaurante é necessário apresentar, à direita do cliente, o nome e o ano da safra do vinho.

É essencial que você abra a garrafa de vinho na frente de quem irá beber para que a pessoa possa ter certeza do vinho que escolheu. Uma vez aberta a garrafa sirva um pouco do vinho para quem vai experimentar.

Neste momento e em todas as outras vezes que for servir o vinho, lembre-se de nunca apoiar a boca da garrafa na taça e tente não deixar que gotas do vinhos caiam.

Aí está a necessidade de ter sempre um guardanapo de pano apoiado no outro braço para limpar eventuais gotas que ficarem no gargalo da garrafa.

Sirva todas as pessoas presentes na mesa (que irão beber o vinho obviamente) não esquecendo de começar sempre pelas mulheres, desde senhoras com mais idade até as mais jovens, passando para os homens seguindo sempre o mesmo critério de idade.

Finalmente, sirva para a pessoa que experimentou o vinho inicialmente.
Nunca encha demais a taça e se você estiver utilizando um balde de gelo, nunca coloque a garrafa de vinho virada pra baixo dentro do balde quando ela terminar, é uma coisa extremamente feia!

servindo um bom vinho

Fechando com chave de ouro

A última dica é aquela de não bater muito forte uma taça na outra na hora do brinde – mesmo nós latinos que gostamos de fazer bagunça.

Ah, e por favor não diga “tin-tin” na presença de japoneses. Use o termo “kanpai” ou outro qualquer para evitar confusões com o aparelho reprodutor masculino.

Se este artigo sobre como servir vinho corretamente foi útil para você deixe seu comentário abaixo.

Abraços.

Vinho aberto estraga? Como e por quanto tempo guardar o vinho

0
vinho aberto estraga

Essa é uma dúvida recorrente entre os amantes, profissionais ou amadores, de vinho. Vinho aberto estraga? É possível guardar por quanto tempo o vinho depois de aberto?

Sem muita enrolação, vou responder logo de cara que sim, vinho aberto estraga. E estraga de uma forma muito rápida.

Isso se deve ao fato do oxigênio entrar em contato com o vinho e transformá-lo numa espécie de “vinagre”.

Entretanto, há quem goste de abrir uma boa garrafa de vinho apenas para bebericar e sentir o gosto, mas não é capaz de beber uma garrafa por inteira.

Nestes casos, também existe uma solução para se guardar de maneira correta para que o vinho possa durar mais tempo sem perder seu gosto ou seu sabor.

Por quanto tempo guardar o vinho

Como guardar o vinho após aberto

O vinho deve ser guardado sempre tampado. Isso faz com que o líquido tenha menos contato com o oxigênio.

Um dos problemas é que após a garrafa ser aberta o oxigênio entrará na garrafa e continuará lá mesmo depois de fechá-la. Isto é fato.

Solução: Uma solução encontrada para que diminua a quantidade de oxigênio que fica em contato com o vinho é transferir o líquido para uma garrafa menor – de preferência uma que fique praticamente cheia.

Caso você não tenha conseguido retirar a rolha intacta você pode utilizar rolhas compradas avulsas. Na internet você encontra uma rolha que funciona como uma bomba à vácuo – serve para remover o oxigênio de dentro da garrafa.

As dicas de conservação de vinho após aberto são as mesmas para quando a garrafa ainda não foi aberta. Ou seja, conserve a garrafa em local fresco, mas longe da umidade para evitar fungos. A garrafa deve ser armazenada inclinada – quase na horizontal.

Por quanto tempo guardar o vinho aberto

Como dito acima, nós aconselhamos tomar o vinho por inteiro após aberto, mas seguindo as dicas acima é possível que o vinho dure até 4 dias aberto.

Agora, se você acha que em 4 dias não é capaz de “virar” toda a garrafa você pode usar sua imaginação. Use o vinho para cozinhar.

Se você é um carnívoro nato, usar o vinho para dar uma marinada na carne traz um sabor único para o prato.

Entretanto, o vinho também pode ser utilizado em pratos doces, mas isso será objeto de um próximo artigo.

Espero que tenham gostado das dicas. Deixe seus comentários abaixo para sugestões, críticas e elogios.

Free WordPress Themes, Free Android Games